LÉO VINCEY - POETA,CRONISTA,CONTISTA ,LOCUTOR...


domingo, 11 de outubro de 2009

LÁGRIMAS DE SANGUE

Quando os joelhos tocarem o chão em desespero
As mãos clamando aos céus por alguma ajuda
Um silêncio ensurdecedor invadirá tua vida e o ar soprará desprezo
Oh alma dilacerada pela infelicidade,a ti não há quem o acuda


No céu procuras por um sinal e teus olhos vermelhos de dor pedem socorro
Em vão clamam e só resta jorrar as lágrimas contidas
O rosto fica molhado e o sangue começa a banhar o corpo, abrindo as feridas
Como conter tamanho sofrimento?O ser procura alívio e um anjo diz:"-De ti corro."


As lágrimas não páram de cair e a angústia só aumenta
E se sentires inútil,não te lamentes,o fim ainda nem chegou
O pior virá e verás que a dor imensa é pouca pra quem tem essa sina que atormenta
Chorar pode ser teu único remédio,deixa-te levar,o teu corpo já se ensopou


A vida é assim,não te canses de sofrer,acostuma-te,a dor o acompanhará
Triste,triste,triste...Tu te achas e quando os joelhos sumirem de tanto beijar o chão
Tua alma se arrastará confirmando o teu destino e em teu caminho uma legião o seguirá
O tapete vermelho construído por tuas lágrimas será teu cobertor e a alegria uma ilusão.

2 comentários:

  1. Tão linda e tão triste! Lágrimas de sangue, mto forte!um abraço.

    ResponderExcluir