LÉO VINCEY - POETA,CRONISTA,CONTISTA ,LOCUTOR...


segunda-feira, 16 de novembro de 2009

D E S E S P E R O



Deitado na minha cama
Olhos fixos no teto
Uma tela escura
Assim vejo minha vida
A manhã não vem
O silêncio me angustia
Na parede,retratos que me olham com dó
Neles,a lembrança de momentos felizes
Meu coração se mostra aliviado nessa hora
Breve alegria
A realidade maltrata
Meu presente é cinza
Anúncio de tempestade
Estou sem abrigo
A dor me agoniza
Só,completamente só,é como me sinto
As pessoas da minha memória se afastaram
Vejo o céu
Por favor,acuda-me
Daí felicidade a essa alma
Ouço trovões
Percebo a força da chuva
Minhas lágrimas acompanham
O meu peito pula
Levanto-me
Estou diante do espelho
Por que a vida é assim?
O silêncio grita comigo e mais nada.



...

2 comentários:

  1. simplesmente fantástico.

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo,

    Gostei dos seus dois blogs.seguirei os dois.

    Abraços

    ResponderExcluir