LÉO VINCEY - POETA,CRONISTA,CONTISTA ,LOCUTOR...


sexta-feira, 10 de abril de 2009

MARLENE

Guardo no peito a lembrança de um sonho
Alegria que o tempo não apagou
A mim só me resta esse olhar tão tristonho
Minimizado pelo afago que a vida não me negou

A ti segredei os mais íntimos desejos,
Na esperança de perpetuar meus ensejos
Viver ao teu lado,muito mais que paraíso
Transformei a rotina numa aventura,meu siso

Sinto no coração a saudade aquecida
Pelas lágrimas que derramei por ti,doce querida
Teu nome,óh minha amada,reduz a aflição

Ele pronuncio,gritando bem alto,até a axaustão
É uma felicidade infinda,a ti digo solene:
-"Ah minha linda,mulher só és tu,o anjo Marlene!"

Um comentário:

  1. Que inveja da "Marlene". Muito dez esse poema...

    ResponderExcluir